​Grãos de Pólen e a Reconstrução de Paleoambientes é o nome da palestra a ser ministrada pelo Dr. Paulino de Oliveira, da Universidade Estadual de Feira de Santana dentro dos s Seminários Novos e Velhos Saberes, no dia 17 de fevereiro, às 10h00, no Salão Nobre do Instituto de Biologia da Ufba. Pensado como um atividade de divulgação dos trabalhos dos professores do Instituto de Biologia, os Seminários passaram a ser uma atividade continuada de extensão dos programas de pós-graduação do Instituto de Biologia (Diversidade Animal, Ecologia Aplicada à Gestão Ambiental, Ecologia e Biomonitoramento e Genética e Biodiversidade). A entrada é franqueada a todos os interessados.

Os Seminários Novos e Velhos Saberes, atividade de extensão continuada, promovida pelos programas de pós-graduação do Instituto de Biologia (Diversidade Animal, Ecologia Aplicada à Gestão Ambiental, Ecologia e Biomonitoramento e Genética e Biodiversidade), apresentam em colaboração com o Núcleo de Ofiologia e Animais Peçonhentos da Bahia (Noap) o Encontro das Cobras.  O Encontro das Cobras é um círculo de palestras sobre a história do Noap, do Instituto de Biologia, Universidade Federal da Bahia (Ufba) que pode ser dividida em dois momentos: criação e consolidação de 1987 a 1997, apresentado pela Profª. Tania Kobler Brazil e expansão e musealização de 1997 até o presente ano de 2017, apresentado pela Profª. Rejâne M. Lira-da-Silva. Atualmente, o Noap é um espaço largamente conhecido, com respaldo de anos de atividades de ensino, pesquisa e extensão sobre os animais peçonhentos. É cadastrado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) como museu de ciências. A firme atuação deste laboratório permanece consistente com a sua participação na Rede Nacional de Informação, Diálogo e Cooperação Acerca dos Animais Peçonhentos – REDE VITAL PARA O BRASIL, uma rede social que agrega, representa e apoia diferentes profissionais, associações e instituições que, com reconhecido desempenho, exercem alguma atividade relacionada aos animais peçonhentos e seus venenos. Não há como falar do Noap sem mencionar o nome mais importante que contribuiu para o estímulo da equipe do Noap e foi sempre olhado como exemplo de grandeza de espírito, firmeza de caráter e perseverança no alcance aos objetivos inequívocos da ciência, o Dr. Vital Brazil Mineiro da Campanha, fundador do Instituto Butantan (São Paulo) e do Instituto Vital Brazil (Rio de Janeiro).

Dia 13 de fevereiro, às 9h00 no Auditório Externo do Instituto de Biologia.

 

cobras

 

Os Seminários Novos e Velhos Saberes celebram nesse ano de 2017, o seu décimo-quinto ano de existência. Pensado como um atividade de divulgação dos trabalhos dos professores do Instituto de Biologia, os Seminários passaram aser uma atividade continuada de extensão dos programas de pós-graduação do Instituto de Biologia (Diversidade Animal, Ecologia Aplicada à Gestão Ambiental, Ecologia e Biomonitoramento e Genética e Biodiversidade). No próximo dia 10 de fevereiro, às 14h00,  teremos a palestra do Dr. Benjamin Kaluza, do Departamento de Ecologia da Universidade de Lunemburgo (Alemanha) que ministrará a palestra:

Plant resource diversity increases foraging and colony fitness in a tropical social bee

(Diversidade de recursos vegetais aumenta o pastoreio e a aptidão de colônias de abelhas sociais)

A palestra ocorrerá no Salão Nobre do Instituto de Biologia da Ufba.

image3489

 

Resumo da palestra

Benjamin Kaluza, Helen Wallace, Tim Heard& Sara Leonhardt.

Bee pollinators are threatened by anthropogenic activities, and habitat loss and –conversion are key causes for currently observed widespread declines in wild bees. Moreover, decreasing abundance and diversity of foraging plants directly limits bee foraging for plant resources (pollen, nectar and resin). Yet how plant richness and plant resource abundance influence foraging patterns and ultimately bee colony performance is still little understood.

In a long term experiment, we placed hives of an Australian eusocial stingless bee, Tetragonula carbonaria, in their natural habitat (subtropical forests) and two landscapes differently altered by humans (suburban gardens and macadamia plantations). To better understand how resource availability and diversity in interaction with nutrient quality affect bees, we monitored foraging patterns and colony growth across seasons over three years.

We found that bees collect higher diversity and greater quantities of resources and had greater reproduction in gardens compared to forests and plantations. Nutritional quality of honey and antimicrobial activity of resin storages was similar across landscapes, but mostly depended on plant species composition. Pollen protein content however was high in plantations and gardens, not in forests. Our results thus demonstrate that high resource abundance, diversity and quality are not necessarily associated with large proportions of natural habitats within the bees’ foraging range, but depend on overall plant species richness and composition and thus year-long resource availability, which ultimately drive reproduction rates in social bees.

Os Seminários Novos e Velhos Saberes completam em 2017, 15 anos. Criado como uma atividade continuada de extensão dos programas de pós-graduação do Instituto de Biologia da Universidade Federal da Bahia (Diversidade Animal, Ecologia Aplicada à Gestão Ambiental, Ecologia e Biomonitoramento, Genética e Biodiversidade), os mesmos funcionam de forma regular, nas primeiras e terceiras sextas-feiras de cada mês, e excepcionalmente, de acordo com a conveniência dos palestrantes, em outros dias. Estaremos recebendo o Prof. Dr. Rogério Vianna, especialista em vermes, coordenador do Laboratório de Parasitologia de Organismos Aquáticos da Universidade Federal de Rio Grande (Furg), que fará a palestra:

Os ectoparasitos contadores de histórias: o que os Monogenoidea (Plathyhelminthes) contam sobre os seus hospedeiros?

A palestra ocorrerá no Auditório Externo do Instituto de Biologia, a partir das 14h00, no dia 20 de janeiro de 2017.Prof. Rogerio é  especialista em Ictioparasitologia e suas interações, desenvolvendo estudos de taxonomia, sistemática e interação parasito-hospedeiro (co-evolutiva e ecológica), coordenador do Laboratório de Biologia de Parasitos de Organismos Aquáticos, da Universidade Federal do Rio Grande (FURG).

text3823

 

Os Seminários Novos e Velhos Saberes e o Programa de Pós-Graduação em Botânica da Universidade Estadual de Feira de Santana apresentam uma dose dupla de palestras, no dia 8 de setembro, a partir das 14h00, no Salão Nobre do Instituto de Biologia.

Cartaz_8_de_setembrobarra_novos_e_velhos_saberesVeja mais sobre os pesquisadores Tiina Särkinen [http://www.rbge.org.uk/science/tropical-diversity/tiina-sarkinen]

que vai apresentar a palestra “Biome modelling: Example of seasonally dry tropical forests and woodlands” e Toby Pennington [http://toby-pennington.squarespace.com] que discorrerá sobre: “How densely-sampled phylogenies at species level can unfold cryptic diversity, the evolutionary process and historical biogeography”.

Os Seminários Novos e Velhos Saberes, atividade continuada de extensão coordenada pelos programas de pós-graduação do Instituto de Biologia (Diversidade Animal, Ecologia e Biomonitoramento, Ecologia Aplicada à Gestão Ambiental e Genética e Biodiversidade) anunciam para o dia 7 de dezembro, às 9h00, no Salão Nobre do Instituto de Biologia, a palestra da Profª. Drª. Manuela Oliveira de Souza (CV na Plataforma Lattes). A professora apresentará a palestra:

Aspectos moleculares do osmocondicionamento de sementes na tolerância ao estresse abiótico

Profª. Manuela  é professora de Bioquímica da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), atuando nas áreas de germinação e desenvolvimento pós-seminal, estresses abióticos na germinação de sementes nativas do semiárido e expressão diferencial de genes.

physalis

Resumo da Palestra

O osmocondicionamento é uma técnica que envolve a absorção lenta de água pela semente, seguida de secagem, após o início dos primeiros estágios da germinação, culminando na emissão da radícula. Os benefícios incluem aumento da taxa de germinação, uniformidade e rapidez no processo germinativo mesmo que a germinação ocorra em condições ambientais adversas. Além de proporcionar o incremento na germinação de sementes, submetidas ao estresse abiótico foi verificado em Physalis angulata (Solanaceae) que o osmocondicionamento também induz genes que codificam proteínas antioxidantes protetoras das partes aéreas e das raízes de plântulas contra os danos oxidativos, na maioria das vezes, irreversíveis para a sobrevivência do vegetal. Esta palestra visa ampliar as discussões relacionadas a este tratamento pré-germinativo relacionando-o com outras atividades na área de sementes como submissão dos diásporos e das plântulas aos estresses hídrico e salino, além do armazenamento de sementes.

 

As atividades finais da disciplina Prática de Resolução de Problemas se integram aos Seminários Novos e Velhos Saberes, atividade de extensão continuada dos programas de pós-graduação do Instituto de Biologia (Diversidade Animal, Ecologia Aplicada à Gestão Ambiental, Ecologia e Biomonitoramento e Genética e Biodiversidade).

​Dentro da grade curricular do mestrado profissional em Ecologia Aplicada à Gestão Ambiental da Universidade Federal da Bahia existe uma disciplina prática denominada de Prática de Resolução de Problemas, que foi oferecida nesse segundo semestre, a partir de 4 de agosto, com carga horária de 153 horas. Para a realização da atividade foi oferecida aos estudantes uma lista de problemas ambientais, propostos pela sociedade civil, os quais foram escolhidos pelos estudantes e resolvidos ao longo do semestre, em parcerias com os proponetes, aos quais chamamos de clientes. Assim convidamos representantes da sociedade civil para participar da atividade, apresentando entre os dias 4 e 6 de agosto problema(s) ambiental(is) real(is), o(s) qual (is) foram avaliados, estudados, discutidos e resolvidos pelos alunos dentro do período da disciplina, em cooperação com os clientes.

Nesse momento de encerramento do curso, os estudantes irão apresentar os resultados de seus trabalhos, e simultaneamente apresentar uma resposta escrita sobre o problema resolvido, e o público interessado também pode participar do mesmo.

A representação da sociedade civil dentro de nossa prática é de fundamental importância para a formação acadêmica de nossos estudantes, bem como uma oportunidade ímpar de estarmos conectados com os problemas ambientais reais da sociedade.

As atividades acontecem a partir do dia 1 de dezembro, às 13h50, e prosseguem no dia 2 de dezembro, por todo o dia, no Auditório Externo do Instituto de Biologia da Ufba, Campus de Ondina, com a entrada livre para o público interessado.

Exibindo pratica_de_problemas.ai.svg.png

Os Seminários Novos e Velhos Saberes, atividade de extensão continuada dos programas de pós-graduação (Diversidade Animal, Ecologia Aplicada à Gestão Ambiental, Ecologia e Biomonitoramento e Genética e Biodiversidade) do Instituto de Biologia da Ufba, prosseguem no dia 31 de outubro, às 14h00, no Salão Nobre do Instituto de Biologia, com a palestra de

Dr. Nuno Caiola

É água perdida aquela que chega ao mar? Conflitos pela água e vazão ambiental

nuno_caiola

Os Seminários Novos e Velhos Saberes, atividade continuada de extensão, coordenada pelos programas de pós-graduação do Instituto de Biologia da Ufba (Diversidade Animal, Ecologia e Biomonitoramento, Ecologia Aplicada à Gestão Ambiental e Genética e Biodiversidade), apresentam no dia 28 de outubro de 2016, a palestra de Dr. Victor Levèfre,  pesquisador da Université Paris-1 (França), intitulada:

Os valores científicos de organicismo ecológico

28 de outubro de 2016

Salão Nobre do Instituto de Biologia da Ufba

victorResumo

The hypothesis that ecological units (ecosystems, landscapes, or the biosphere itself) are analogous to organisms is generally viewed as an outdated or freak idea associated in the history of ecology with the names of Frederic Clements and, more recently, James Lovelock. Against this standard view, I propose that ecological organicism is still relevant for science : it’s the best way to justify the use of functional and health vocabulary in ecosystem ecology and it’s a good hypothesis to explain the dynamics of ecosystems. This view is developed against the idea that ecosystems are simply physical systems which all phenomena are fully explainable by physical theories.