Artigo em A Tarde: Salve a Ciência, SBPC 70 anos.

Desde de 2001 existe uma lei, sancionada por FHC, instituindo o 8 de julho como o Dia Nacional da Ciência. Em 2008, no governo Lula, a mesma data também passou a celebrar o Dia do Pesquisador. Apesar de existirem as leis, a data nunca foi celebrada, sendo praticamente desconhecidas da população e até mesmo dos cientistas.

A Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) vem trabalhando para recuperar essa celebração, inclusive porque no argumento legislativo para a escolha do 8 de julho constava uma referência à primeira reunião de cientistas, lá nos idos de 1948, que deu origem à SBPC.

Afirmava o deputado Evandro Milhomen, relator da lei: “a SBPC carecia de uma data de referência para a ciência em nosso país; além do que, em vista da grandeza da entidade, entendemos que a definição desse marco referencial, levará o Poder Público a perseguir o objetivo da proposta em discussão, incentivando a divulgação ampla do Dia da Ciência em todos os setores da sociedade brasileira, e principalmente nos estabelecimentos educacionais do País.”

O difícil momento por que passamos, particularmente depois do golpe que depôs a presidenta eleita Dilma Roussef, tem imposto cortes significativos nos orçamentos para a área. Como parte da celebração dos seus 70 anos, a SBPC vem promovendo seminários temáticos, sendo que, logo no primeiro, a realidade orçamentária para CT&I foi exposta de forma cristalina: o “investimento nessa área voltou a níveis de 2002, valor reduzido a 1/3 do que foi aplicado oito anos atrás. Os atuais cortes drásticos nos recursos para CT&I, após mais de uma década de aumento significativo, colocam todo esse investimento anterior, em recursos e em pessoal qualificado, em risco. Estão ameaçadas a continuidade das pesquisas e a formação de novos cientistas.”

Dois outros aspectos estão sendo considerados centrais para nós. O primeiro, é a revogação da Emenda Constitucional 95, que congelou os investimentos no país por 20 anos. O segundo, a recriação de dois ministérios que foram absurdamente integrados, o da Ciência e Tecnologia e o das Comunicações, cada um deles com suas especificidades e responsabilidade que não se integram por ações administrativas e, sim, por políticas públicas de governo.

Em termos locais, temos muito a lutar, pois nosso sistema de C&T está fragilizado, com profundos cortes orçamentários e com o praticamente esvaziamento da FAPESB. Complemento que ainda temos que lutar pela não continuidade da destruição do nosso Museu de Ciência e Tecnologia e por um Plano de Banda Larga para todo o estado.

Mais do que celebrar uma data, o momento é de luta. Exige uma maior participação da sociedade na defesa da Ciência e da Educação contra essas ações que, seguramente, comprometerão de forma grave o futuro do país.

 

Jornal A Tarde, 06/07/2018, apg. 03. Baixe o pdf aqui.

 

Marcados com: ,
Publicado em Artigos em A Tarde

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>


8 + = dezessete

MEUS ESCRITOS DIÁRIOS, PERO NO MUCHO!

43 anos de UFBA como professores

Na data de hoje, dia 19 de abril, no ano de 1978, iniciava meu trabalho como professor do Instituto de...

Artigo em A Tarde: Ciência Aberta e vacinas

Ciência aberta e vacinas Nelson Pretto, professor da Faculdade de Educação da UFBA. nelson@pretto.pro.br Se não bastasse a pandemia da...

Quem mandou matar Marielle?

sem palavras, a pergunta também é feira pelo grande cartunista mineiro-baiano Cau Gomez em A Tarde de hoje, 09/10/2020.

Uma pequena homenagem a Ciro Marcondes Filho

Com muita tristeza acordei hoje com a informação do falecimento do professor Ciro Marcondes Filho. Entrei no doutorado na ECA/USP...

O Movimento da Fábrica Vive – Matéria no Correio*

Movimento da Fábrica: em busca de um Rio Vermelho pulsante. Nelson Pretto (professor da Faculdade de Educação da UFBA) com...

Não ao retorno as aulas agora – Artigos e comentários

Vejo movimentos de governadores e prefeitos no sentido e autorizarem o retorno das aulas presenciais nesse momento. Temos nos manifestado...

Por uma politica de TI para a educação

Aqui o documento que produzimos eu e Karina Menezes (UFBA|FACED) junto com Leonardo Nascimento (UFBA|ICTI), Vinicius Ramos (UFSC|CIT) e Tel...

Derrumbando Muros é o tema da próxima Polêmicas Contemporânea em casa.

Na próxima segunda, dia 06/07/2020 vamos debater em Polêmicas Contemporâneas em casa o tema dos movimentos de derrubadas de monumentos...

Polêmicas Contemporâneas em casa: Dois de Julho dendicasa

29/06/2020 - Dois de Julho dendicasa Convidados Hendrik Kraay, professor de história na University of Calgary, Canadá. É autor de...

Liberem suas redes sem fio

Escrevi no jornal Correio da Bahia. Falei na Rádio Metrópole. Divulguei tudo por aqui mas mesmo assim, acho que precisamos...

Liberem seus wifi! artigo no Correio de hoje

Educação e solidariedade (tecnológica): liberem seu wifi. Nelson Pretto – professor da Faculdade de Educação da UFBA. nelson@pretto.pro.br – www.pretto.info....

Artigo na Fórum: Avança universidade pública!

Avança universidade pública! Nelson Pretto, professor titular da Faculdade de Educação da Universidade Federal da Bahia. Membro titular da Academia...

Artigo Ocupa Odorico, em A Tarde de 27/01/2020

Ocupa Odorico Nelson Pretto, professor da Faculdade de Educação da UFBA - nelson@pretto.pro.br Recentemente, o governo estadual anunciou a desativação...

A Bahia na Internet, matéria em A Tarde/Muito de 08/12/2019

Saiu hoje em A Tarde, Revista Muito, uma bela matéria de Tatiana Mendonça, sobre nosso projeto Memória da Internet na...

Artigo no Correio* em defesa da universidade e GEC 25 anos

Artigo de Nelson Pretto no Correio* dia 06/12/2019     25 anos de um grupo de pesquisa e a defesa...